rocinha e a alternativa a guerra as drogas

A única alternativa para a guerra as drogas e a legalização

Nós aqui na Alezzia | Palmetal somos contra as drogas, mas, também somos contra a guerra as drogas. Após mais de 30 anos de combate o tráfico e o consumo continuam mais fortes do que nunca. Após analisarmos os fatos é preciso colocar a ideologia de lado e entender que a única alternativa para reduzir o número de mortes e violência que gira em torno desse assunto é por meio da legalização.

É hora de o Estado demonstrar capacidade de conter as quadrilhas, e disso dependerá o enfrentamento em todos os estados nos quais esses grupos atuam.

Esse acima é o editorial do jornal O Globo de 23 de setembro de 2017, maior veículo de mídia do Brasil, conclamando o país a continuar a mesma guerra as drogas que o mundo todo faz há 30 anos.

Você viu o documentário sobre o Pablo Escobar onde o braço direito dele, o Popeye, é entrevistado?

Ele fala assim: “Para pegar o Pablo, um homem apenas, o USA enviou: Exército, CIA, FBI e DEA.” Além disso todo o Estado colombiano desabou sobre o cartel. O poder de Escobar era tão alto que todo mês ele comprava U$2.500 em elástico somente para amarrar o dinheiro que ele arrecadava com a venda. O final todos já sabem, Escobar morre.

Pablo Escobar comprava por mês 2.500 dólares de elástico para amarrar dinheiro

A maior potencia do mundo gastou bilhões de dólares no combate as drogas e conseguiu matar o chefão. Fim das drogas então, certo???

Ao contrário! Ela ficou mais forte ainda. No programa Drogas S/A do NatGeo um policial americano fortão de cabelo arrepiado diz com toda a sinceridade: “Não conseguimos pegar nem 2% do que entra de drogas nesse país.”

O USA não consegue vencer a guerra as drogas

Se a maior potência econômica, militar e política do mundo não consegue nem arranhar o mundo das drogas, porque nós, os manés terceiro mundistas sem dinheiro temos a pretensão de fazermos o que o TIO SAM não consegue?

Quem mora no Rio sabe… Nossos bravos PMs vão lá na favela pela manha, matam o chefão da boca e capturam 2Kg de drogas. Eles voltam no mesmo local a tardel e já encontram outro chefão no posto, mas, ao invés de 2Kg encontram 4kg de drogas.

Sabe em quantos locais isso acontece apenas no Rio de Janeiro? 10, 100, 200? Errado! Aqui são mais de 1mil favelas e o número cresce todos os dias.

Enquanto falamos isso o Estado esta lá tentando enxugar o gelo nessa guerra perdida. Daqui a pouco eles vão ter que sair e vai voltar tudo ao que era antes.

A raiz de disso é o monopólio da venda de drogas pelo tráfico que faz com que diariamente uma montanha de dinheiro caia no bolso deles.

E óbvio que liberar as drogas não vai quebrar o tráfico da noite para o dia, mas, como mostra o Colorado que vendeu 1 bilhão de dólares somente em maconha legalizada, isso vai ser um dreno enorme no seu faturamento.

O Colorado no USA retirou U$1bi da mão do tráfico com a venda de maconha legalizada

E é ilusão achar que o fato de liberar as drogas vai fazer todo mundo ficar doidão. Hoje qualquer criança compra drogas a hora que quiser em uma favela. Quem não usa drogas, como nós, não vai passar a usar só porque ficou liberado.

Temos que tirar o problema da guerra as drogas da mão da polícia e tratá-lo como uma questão de saúde. É a única alternativa viável.

Alezzia
[email protected]

Indústria de móveis de aço inox com sede no Rio de Janeiro

No Comments

Enviar Comentário