carteira de trabalho sobre a mesa e a CLT

13 motivos pelos quais a CLT resiste mesmo sendo ruim

Mesmo você sendo contra ou a favor da CLT (Consolidações das Leis do Trabalho) uma coisa é um fato claro e ninguém discorda: Só defende a CLT quem nunca empregou ninguém na vida. Se você já lutou para gerar empregos e pagar salários você com 99,9% de chance será contra a CLT.

Então se algo que é tão execrado pela classe dos empresários, teoricamente a classe mais alta, porque esse mesmo algo resiste há mais de 70 anos, mesmo que o maior sindicato do Brasil em sua origem tenha tido o objetivo de acabar com ela?

No Brasil existe uma conjunção astrológica de fatores, raramente encontrado em outros países, que é o sustentáculo dessa legislação… A saber:

Boneco empurrando dominó branco e a clt

Boneco empurrando dominó branco
1) O povo não sabe o que é causa e efeito

Pela nossa precária educação, regras básicas que qualquer ser humano em um país um pouco melhor sabe são ignoradas aqui. E a principal delas é a regra da causa e efeito que basicamente quer dizer que qualquer ação vai trazer consequências seja lá qual for. Então se você toma uma ação que obrigado ao empregador fornecer 30 direitos e regalias para cada trabalhador contratado, esses direitos e regalias vão ter um efeito. Isso é uma certeza. O efeito dessa causa é que menos pessoas vão querer ou ter condições de distribuir todas esses benefícios. Com menos gente distribuindo benefícios menos gente receberá os benefícios.

Só que aqui no Brasil boa parte das pessoas acreditam em causa sem efeito e em efeito sem causa.

Controladora militar de trafico aereo com sinalizador

Controladora militar de trafico aereo com sinalizador
2) A lei da oferta e demanda é ignorada

Um bom setor da população acredita que salário e os preços no geral são criados por tabelamento. Ou seja… Se o governo baixar um decreto dizendo que o salário mínimo agora é R$2.000,00 automaticamente todos serão obrigados a contratar por esse valor e o salário sobe. Aquela lei que diz que quanto mais se procura um bem, mais o preço dele sobe, e ao contrário, quanto mais esse bem sobra no mercado, mais o preço dele cai, pode até funcionar, mas, somente no resto do mundo. No Brasil todas as leis da física e do comportamento humano são diferentes porque Cabral nos descobriu há 500 anos atras. Não fosse isso seria diferente, mas, por essa colonização aqui o universo funciona de outra forma.

 

3) O brasileiro é acomodado

Ao assistir o discurso de líderes de outros países é possível ver eles falando sobre o crescimento da nação, sobre serem prósperos, sobre manter a hegemonia e etc. O que nós entendemos sobre o falado “complexo de vira-lata” é que o brasileiro olha para os países que possuem uma qualidade de vida excelente, olham para os seus cidadãos e pensam naquela velha história da culpa ser toda do Cabral, o descobridor, e por isso estamos condenados a ser um país medíocre para toda a eternidade, independe da atitude que seja tomada.

Segundo diz o velho ditado: “O bom é inimigo do ótimo”. O mais grave é que para o brasileiro normal o bom já é o ótimo. Por isso que enquanto o povo puder fazer um churrasco na lage no fim de semana e puder curtir o carnaval uma vez por ano a vida será maravilhosa.

Olhando o gráfico acima é possível ver que a Coréia do Sul tinha a mesma renda per capta do Brasil na década de 60. Durante esse período a Coréia fez reformas que deram liberdade as pessoas e empresas e investiu pesadamente na indústria e na educação. Hoje um trabalhador coreano médio tem um salário quase quatro vezes maior que um brasileiro. Além disso o mesmo possui muito mais segurança e muito mais educação.

E como a Coreia conseguiu esse feito? Ela seguiu alguma fórmula especial criada exclusivamente para ela? A resposta é não. A Coreia simplesmente copiou item por item o que outras nações como Inglaterra e Alemanha fizeram para se industrializar.

Cale a boca e pegue meu dinheiro4) O estado compra o silêncio sobre CLT

Com tantos bolsas isso e aquilo o estado compra o silêncio sobre CLT e ganha votos. O cidadão recebe uma esmola do governo, leia-se de nós contribuintes, e fica feliz, pois, pode fazer seu churrasquinho na laje sem trabalhar. Esse mesmo cidadão vota no político que deu a bolsa e manda essa tal de CLT para o espaço, pois, para ele esse assunto é irrelevante. Estivesse ele tendo que trabalhar para sobreviver a coisa seria bem diferente.

evita em discurso as mulheres sobre um palanque5) O povo ama o governo

O mesmo povo que detesta os políticos acha o governo, que é comandado por esses políticos que ele detesta, maravilhoso. O brasileiro acha que quanto mais o governo se mete nas coisas mais as coisas melhoram, logo, se meter no seu poder de negociar a sua própria vida faz sentido aqui.

sindicalistas em frente ao congresso nacional brasileirosindicalistas em frente ao congresso nacional brasileiro

6) Sindicalistas defendem a CLT com a própria vida

A arquitetura dos sindicatos foi criada para que eles ganhem dinheiro com a desarmonia entre funcionários e empresa. O pior pesadelo de um sindicalista é ver um empregado feliz com o seu patrão, pois, isso significa que o sindicato não serve para nada. E a CLT é uma fonte inesgotável de atrito entre contratante e contratado.

Até 2016 a CLT garantia um fluxo de bilhões de reais para os sindicatos, esses tinham o poder de sustentar essa estrutura arcaica que beneficia principalmente a eles e aos advogados trabalhistas em detrimento de quase duzentos bilhões de brasileiros.

Com o fim eminente do imposto sindical obrigatório, o principal padrinho dessa legislação vai perder seu poder de fogo e a tendência é termos sindicatos que ganhem com a harmonia e não mais com os embates.

7) Políticos usam a CLT

Como o nosso povo é analfabeto o discurso de “direitos trabalhistas” ainda tem muito apelo junto aos mais pobres, e esse termo pega bem em um discurso emocional inflamado para uma população que não entende o conteúdo da fala, mas, se prende ao gestual.

Equipe de hospital transportando maca com paciente

Profissionais de excelência são bem remunerados e ignoram direitos trabalhistas

8) Profissionais medíocres defendem a CLT

Os profissionais medíocres que não são bons o suficiente para serem contratados por uma grana petra, nem são fracos demais para ficar fora do mercado, morrem de medo de serem substituídos por alguém que faça o mesmo que eles por um salário menor. Ao invés de eles estudarem para serem diferenciados, eles preferem endurecer as leis para ser mais difícil a concorrência entre os trabalhadores e se torne mais caro a demissão e por fim o proteja da concorrência que ele quer que exista nas empresas, mas, para ele não.

9) O brasileiro é individualista

Como dizia nosso saudoso amigo Leonardo Torres: “No Brasil é primeiro eu, segundo eu, terceiro eu, quarto eu e quinto, se der, eu também.” Então o profissional medíocre acima não se preocupa que milhões e milhões de pessoas não tem acesso um salário mensal, desde que ele tenha o dele.

casal em veleiro no mar

É uma ofensa pessoal ser um empresário bem sucedido no Brasil

10) Brasileiro detesta empresários

Você será uma pessoa legal no Brasil até o dia que você resolve abrir o seu negócio. Dai por diante você passa a ser uma pessoa que só vive para duas coisas: Explorar o pobre e visar lucro. E como as duas coisas no Brasil são erradas, você será combatido e qualquer coisa que faça você ter lucro é errada. O certo aqui é você abrir uma empresa, tirar um pequeno salário, se possível salário nenhum, e distribuir todo o lucro para o governo em forma de impostos e para os seus trabalhadores.

11) Riqueza é criada por decreto e não por trabalho duro e bom senso

Boa parcela do Brasil tem certeza absoluta que o salário, a saúde, a educação e todos os outros bens são criados por uma lei que obrigue alguém a entregar esse jardim do éden para o povo sem custo nenhum. Trabalho duro, humildade e bom senso não tem nada a ver com gerar riqueza.

Haver um ambiente propício para que muitas pessoas queiram abrir negócios não tem nenhuma relação com crescimento da economia. Riqueza é criada por aumento de impostos para o mais rico e cobrança dos impostos de quem não pagou, além claro, de acabar com a corrupção. Feito isso, mesmo que todas as empresas quebrem, teremos saúde, educação e bons salários para todos.

inveja sobre os bem sucedidos12) Ideologia e inveja

Boa parte da sociedade é completamente inapta para manter uma empresa de cinco funcionários operando, e por isso, possuem uma inveja maligna sobre os empreendedores de sucesso. A CLT é a vingança daquelas contra os últimos. É uma forma de fazer os talentosos sofrerem pela ousadia de serem bem sucedidos assim na cara de pau.

13) A CLT é o empoderamento do vitimismo

No Brasil você tem uma filosofia vitimista que é absurdamente arraigada nas pessoas sejam ela da corrente ideológica que for.  Vamos supor que em uma determinada empresa X o empresário é notoriamente uma pessoa grosseira ou qualquer outro defeito que seja. Sabendo disso, um ser humano normal evitaria trabalhar nessa empresa para reduzir o stress, afinal, minha empresa minhas regras. No Brasil a coisa funciona ao contrário. O brasileiro pensa: “Ótimo que ele seja grosseiro. Vou entrar lá, virar uma vítima da grosseria, vou gravar tudo,  processar o empresário, ganhar uma bolada e resolver minha vida. Além de dar uma lição de moral nele. Vou mostrar como eu tenho o poder e ele está abaixo de mim.”

Só tem um detalhe nessa filosofia acima… O que a pessoa vai fazer quando o dinheiro da bolada acabar? Vai procurar outro para vitimizar? OK! Vamos dizer que ache… O que a pessoa vai responder quando lhe perguntarem porque saiu do antigo emprego? Vai dizer que saiu porque entrou pensando em processar o patrão? Se fizer isso qual a chance dessa pessoa ser contratada? Se não fizer estará mentindo. E é viável começar uma relação profissional sustentada em uma mentira no nível da mentira que é a CLT?

 

Agora que você leu porque a CLT se mantém de pé no Brasil, veja as nossas propostas para mudar essa CLT.

Alezzia
[email protected]

Indústria de móveis de aço inox com sede no Rio de Janeiro

No Comments

Enviar Comentário