alezzia na praia e a portaria do trabalho escravo

A Polêmica sobre a Portaria do Trabalho Escravo

Esta rolando um tremendo viral sobre o fato de o governo ter, acertadamente, criado um portaria do trabalho escravo – link.

Como o enquadramento do que era um trabalho escravo ficava muito subjetivo e a critério da fiscalização o Ministério do Trabalho baixou uma portaria tornando a avaliação mais objetiva e menos sujeita a ideologias.

Muitas vezes um trabalho ruim ou péssimo era considerado um trabalho escravo.

OK… Para falarmos de trabalho escravo é preciso fazer uma pergunta: “Há quantos anos existe trabalho escravo no Brasil?

Reposta: – 500 anos.

Você já foi ao sertão do nordeste ou a um cantão bem escondido do norte do Brasil?

Em lugares extremos você em um dia bom vai ter farinha com água para o seu almoço.

Agora você nos explica como alguém vai montar uma empresa, pagar toda a papelada de impostos e ainda contratar alguém na CLT com todos os direitos trabalhistas, exames médicos, FGTS, INSS, Sindicato, Caged, etc. em um lugar como esses.

Se é quase impossível manter essa papelada infernal em uma cidade grande imagina manter uma pessoa na CLT em uma cidade de 15mil habitantes a 1.000Km de distância da capital.

Provavelmente não existe motivo racional para alguém se meter em uma fria dessas. E realmente não fazem, por isso as pessoas desses locais ficam basicamente ao Deus dará.

A questão principal é que os nossos justiceiros sociais (SJW) não querem resolver o trabalho escravo no Brasil.

A existência do trabalho escravo é para eles uma bandeira de luta. Caso o trabalho escravo seja resolvido boa parte dos nossos justiceiros vão sentir um vazio dentro de si.

É por isso que a pobreza, o analfabetismo e a desigualdade são o modo de vida dos comunistas brasileiros.

Ao mesmo tempo que os justiceiros não querem acabar com o trabalho escravo eles querem punir pesadamente os que “escravizam”.

É lindo ver na TV que trabalhadores escravos foram libertos e o malvadão foi preso. É a luta do bem contra o mal. É um prazer indescritível.

Resumindo: Os justiceiros não querem acabar com o trabalho escravo, eles querem apenas punir os escravizadores.

E geralmente quem quer que essa situação permaneça são pessoas que nunca empregaram mais do que uma doméstica na CLT e muitas vezes nem isso.

Porque ainda precisamos de uma portaria do trabalho escravo?

O que os justiceiros fazem questão de varrer para debaixo do tapete é a pergunta mais obvia de todas.

Porque ainda existe escravidão no Brasil e porque ainda precisamos de uma portaria do trabalho escravo?

Se você perguntar isso a resposta será algo do tipo: “Porque os patrões são maus e eles devem ser punidos”

Nesse caso você se pergunta: “Será que as pessoas lá no interior do Piaui acordam um dia e decidem que vão querer ser escravizadas em um trabalho horroroso?”

Ou será que elas foram obrigadas a isso porque ninguém foi retardado o suficiente para abrir uma empresa com toda a papelada e contratar um cidadão que mal sabe escrever o próprio nome (culpa do Estado que o tornou um analfabeto) e lhe pagar salário, férias, FGTS, vales, INSS e guardar toda a papelada de recibos, pontos, etc por 30 anos.?

Quantos justiceiros sociais estão dispostos a desembolsar 2.500 por mês (salário mínimo custos) para manter um funcionário incapaz de interpretar textos?

A reposta para a pergunta acima é zero, mas, fazer estardalhaço pela portaria do trabalho escravo que na verdade ajuda a reduzir o trabalho escravo é um bom mote para ficar bem na foto e sair na mídia.

Alezzia jogando o cabideiro de inox no mar no texto sobre o trabalho escravoAlezzia jogando o cabideiro de inox no mar no texto sobre o trabalho escravoA solução para o trabalho escravo

Da mesma forma que prender ou matar traficantes nunca acabou e nem vai acabar com as drogas, prender escravizador não vai acabar com o trabalho escravo.

Vai sim jogar os “Libertos” de volta a fome certa, pois, depois que as câmeras da imprensa forem desligadas, ninguém vai lembrar que eles existem.

Temos sim é que acabar com a necessidade da pessoa ser escravizada por total falta de alternativa melhor.

Para acabar com o trabalho escravo existem 2 soluções

SOLUÇÃO 1:

Você coloca os verdadeiros escravos do Brasil, os trabalhadores da iniciativa privada para financiar a vida das pessoas do interior e elas não precisam mais se sujeitar ao trabalho horroroso. Elas se tornam escravas do ócio e do governo. Essa solução tem nome e se chama Bolsa Família.

SOLUÇÃO 2:

Você tira o parasita chamado Estado de cima da iniciativa privada (empreendedores e funcionários) e deixa a economia florescer a ponto de ter tanta empresa que até no sertão do nordeste muitas oportunidades de empregos dignos serão geradas. Talvez você não saiba, mas, desde que a Constituição Federal foi promulgada mais de 5 milhões de leis e normas foram estabelecidas.

A única coisa que impede a solução 2 de ser implementada são os dogmas ideológicos que no Brasil faz as pessoas acreditarem que o cidadão é um ser totalmente incapaz e o Estado, gerido pelos detestáveis políticos, é um ser capaz de resolver tudo.

Nos revolta ver funcionários públicos e artistas que não geram emprego nenhum querer falar de trabalho escravo.

A raiz disso tudo é a CLT, nós vamos limar ela fora e não precisaremos mais de uma portaria do trabalho escravo.

Alezzia
[email protected]

Indústria de móveis de aço inox com sede no Rio de Janeiro

No Comments

Enviar Comentário