aplicações em aço inox decoração puff

9 aplicações em aço inox que vão te surpreender

Sabemos que o aço inox é um material muito versátil, é conhecido e desejado especialmente por sua durabilidade e resistência à corrosão. Há décadas é um dos materiais mais utilizados em diversos segmentos de mercado, como cutelaria, indústrias de alimentos e farmacêutica, cervejarias, vinícolas, usinas, ou seja indústrias em geral. Mas por vezes o aço inox é aplicado de maneiras inovadoras!

Confira essa lista de 9 aplicações em aço inox que vão te surpreender:

 

1. Sabonete anti-odor

aplicacoes em inox sabonete odor

Sabonete anti-odor em aço inox

 

Sabe aquele cheiro de alho ou cebola que não sai das mãos, e às vezes fica por dias? Essa inovação vem ganhando a aprovação de muitas cozinheiras e donas de casa: sabonete feito de aço inoxidável. Conhecido como sabonete inox, esse produto consegue remover facilmente vários cheiros desagradáveis das mãos, principalmente os deixados pelo alho e pela cebola.

O seu uso se dá da seguinte forma: deve-se lavar primeiro as mãos com um sabão ou sabonete comum, enxaguar  e, debaixo da água corrente, esfregar o sabonete inox com as mãos, passando-o em todas as partes, inclusive entre os dedos, por cerca de 30 segundos.Um aspecto muito bom desse produto é que ele não se desgasta, ou seja, pode ser usado “para sempre”. Também não agride o meio ambiente, não possui perfume e seus preços variam entre R$ 9,00 a R$100,00.

Como funciona?
Os compostos sulfurados, ou seja, aqueles que possuem um ou mais átomos de enxofre em sua estrutura, são responsáveis por alguns dos piores cheiros do mundo. Qualquer alimento que possua grandes quantidades de enxofre, como o alho e a cebola, geram esses cheiros ruins.

No caso do alho, ele possui como ingrediente ativo o dissulfeto de dipropenila. Quando cortamos ou amassamos o alho, suas enzimas alinases transformam o dissulfeto de dipropenila na alicina (estrutura abaixo), ocorrendo então uma oxidação branda. A alicina perde facilmente os seus átomos de oxigênio e converte-se novamente no dissulfeto, que é mais volátil. A alicina é a substância que gera o odor desagradável do alho.Outros odores desagradáveis de muitos alimentos são causados também por ácidos carboxílicos.
O aço inoxidável do qual é formado o sabonete citado é uma liga metálica formada por 74 % de aço (que, por sua vez, é feito de aproximadamente 98,5% de ferro, de 0,5 a 1,7% de carbono e traços de silício, enxofre e fósforo), 18% de cromo e 8% de níquel. Essa liga praticamente não oxida, por isso recebe o nome de inoxidável.
Assim, os fabricantes desse produto dizem que os odores são eliminados pela capacidade do aço em catalisar a oxidação dos ácidos e do enxofre responsáveis pelos odores.

 

2. Piscina

Já imaginou uma piscina toda feita em aço inox? Feitas sob medida, as piscinas de aço inoxidável atendem desde projetos residenciais até spas, hotéis e parques públicos. Possuindo vida útil extremamente longa, a superfície lisa e uniforme não permite que fungos e bactérias consigam aderir à chapa o que reduz o custo de manutenção da piscina no que diz respeito à limpeza.

Alemanha e Áustria são os países onde o uso do aço inox em piscinas é uma referência. Há mais de 40 anos, o material é usado em reabilitação e construção de piscinas, tanto privadas quanto púbicas (muito comuns na Europa), tanto para fins esportivos quanto de lazer.

Benefícios de uma piscina em aço inox:

  • Vida útil extremamente longa sem comprometer a qualidade;
  • Altos níveis de higiene;
  • Superfície lisa e uniforme;
  • Permanentemente estanque;
  • Limpeza mínima necessária;
  • Em cidades onde há geada ou neve, não há risco de danos ou medidas especiais para proteção da piscina;
  • Material ideal para combinar especificações arquitetônicas;
  • Forte apelo visual através da combinação água e aço inoxidável;
  • Material tem um elevado nível de elasticidade;
  • Alterações de projeto são possíveis mesmo depois de a piscina estar em uso por muitos anos;
  • Não há custo de manutenção.

 

 

3.Célula a combustível

A célula a combustível é uma promissora tecnologia para conversão da energia química em energia elétrica com elevada eficiência. Entre os vários tipos, a Célula a Combustível de Óxido Sólido (SOFC ou PaCOS) atrai maior interesse devido a sua ampla faixa de aplicação.

Engenheiros coreanos usaram aço inoxidável para eliminar um dos maiores problemas das células de combustível sólidas. O resultado prático foi que eles criaram um meio de dar aos drones uma autonomia muito superior à que é possível com baterias.

A equipe usou o comum e barato aço inoxidável para substituir o material propenso a entupimentos e desgaste nas células a combustível de óxido sólido – ou na sigla em inglês ( solid oxide fuel cell) – tidas como células de terceira geração.

Esses geradores convertem hidrogênio em eletricidade pela migração de íons de oxigênio do catodo rumo ao anodo através de um óxido sólido, que funciona como eletrólito. Tipicamente, sobretudo em células pequenas, tem sido usado silício como meio de suporte, devido à facilidade de usar a litografia para fabricação.

 

 

4. Biomaterial

aplicações em aço inox implante odontologico

Implante odontológico em aço inox

Por definição, biomateriais são materiais que podem ser implantados para substituir ou reparar tecidos em falta. Podem ser de origem natural ou sintéticos e são capazes de interagir com o corpo humano.

O aço inoxidável está entre os biomateriais mais freqüentemente utilizados como instrumento de fixação interna. Além de combinar custo e efetividade com propriedades mecânicas favoráveis e resistência aceitável à corrosão, ele já passou no teste do tempo, tendo sido utilizado como implante em humanos por décadas. O aço inoxidável está disponível comercialmente em uma grande variedade de tipos e ligas, a maioria das quais não adequadas como implantes, principalmente devido às propriedades desfavoráveis de corrosão. A corrosão é indesejável por degradar as propriedades materiais dos implantes e liberar nos tecidos circunjacentes íons metálicos que podem provocar efeitos metabólicos indesejáveis. Os tipos 316 e 316L de aço inoxidável são os de melhor aplicação como implantes biomédicos. O tipo 316L é uma liga cuja base é o ferro, que contém de 17% a 20% de cromo, de 10% a 14% de níquel, de 2% a 4% de molibdênio, menos de 2% de manganês, menos de 0,75% de silicone e menos de 0,03% de carbono.

O cromo protege contra a corrosão, produzindo uma película óxida regenerativa, que impede a perfuração e a condução elétrica. O níquel e o molibdênio também protegem contra a corrosão. A diminuição da quantidade de carbono nesta liga é essencial para manter sua resistência contra a corrosão porque o carbono pode ligar-se ao cromo, e formar precipitados de carboneto de cromo, resultando em áreas de depleção de cromo e perda de seus efeitos protetores.

 

5.Catalisador

A platina é um catalisador estupendo, mas seu alto custo tem inibido o desenvolvimento de novas tecnologias de combustíveis, assim como o uso em larga escala de sistemas antipoluição. Pesquisadores da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, descobriram uma forma de substituir a platina pelo muito mais barato aço inoxidável no papel de catalisador em suas células eletrolíticas microbianas produtoras de hidrogênio.

“Catodos de aço inoxidável podem produzir hidrogênio em volumes e numa eficiência similares aos que podem ser obtidos com os catalisadores de platina,” diz o Dr. Bruce E. Logan, que é professor de engenharia ambiental.

As escovas utilizadas pela equipe do Dr. Logan foram feitas com fios de aço inoxidável 304 dispostos ao longo de um núcleo espiral também de aço inoxidável, tudo fabricado em um equipamento industrial tradicional.

Medindo 2,5 cm de comprimento por 2,5 cm de diâmetro, as escovas têm uma área superficial de de 310 centímetros quadrados.

 

 

6.Bicicletário criativo na Noruega

aplicações em aço inox bicicletário Noruega

Bicicletário em aço inox na Noruega

Uma solução brilhante para uma missão difícil. Criar um bicicletário moderno e bonito para 200 bikes, em um corredor estreito, com pouca luz e sem atrapalhar o fluxo de pessoas. Quem chegou a solução foi a empresa MAD arkitekter. Em um espaço de 10 x 90 metros a empresa espalhou bikes de aço inox e batizou esse “pelotão” de MAD Bike.

As bikes de aço servem para acorrentar a sua bicicleta, além de também servir como decoração para o corredor e uma fonte de iluminação. Na frente da bike foram colocados LEDs brancos e atrás LEDs vermelhos. Essa obra de arte a céu aberto fica em Olso na Noruega.

 

7. Purificação de fluidos

Dois pesquisadores brasileiros, Ronaldo Corrêa (IEN – Instituto de Engenharia Nuclear) e Ricardo Peçanha (Escola de Química da UFRJ), desenvolveram um novo método de purificação aplicável a fluidos (líquidos ou gases).

A invenção, que já teve patente deferida pelo INPI, pode ser útil no tratamento de rejeitos industriais aquosos contaminados, com a vantagem de poder empregar várias resinas simultaneamente.

A técnica do leito de resinas fluidizado é bastante usada para remoção de partículas nocivas ao meio ambiente ou para recuperar substâncias de valor que possam ser reaproveitadas em rejeitos industriais.

O invento dos dois pesquisadores torna a operação mais rápida e eficiente graças ao uso de cápsulas permeáveis de aço inoxidável contendo diferentes tipos de resinas, estas destinadas a absorver os contaminantes. A técnica também proporciona uma grande redução do volume dos contaminantes a serem tratados.

O processo permite a remoção de contaminantes orgânicos e inorgânicos, funcionando, portanto, em diferentes tipos de indústrias. No setor nuclear, pode ser empregado na remoção de substâncias presentes em rejeitos de indústrias de extração de minérios contendo urânio e tório associados, ou ainda na indústria de máquinas pesadas, bem como no reaproveitamento de substâncias que representem interesse econômico.

Os dois pesquisadores afirmam que sua invenção pode viabilizar um um cenário no qual caminhões equipados com a tecnologia tratam resíduos de várias indústrias, pois o equipamento necessário pode ser instalado em um caminhão e utilizado no próprio local.

Segundo Corrêa, isto pode contribuir para a economia circular das atividades industriais, que parte do princípio de que resíduos de produção devem ser reutilizados, extraindo-se o máximo de valor possível antes de serem retornados ao meio ambiente e à sociedade de maneira segura.

Quando um fluido escoa verticalmente, de baixo para cima, através de um leito de partículas não consolidadas e mais densas que o próprio fluido, existe uma faixa de velocidades do fluido que dá origem ao chamado leito fluidizado. O fluido não pode ter velocidade nem muito pequena (as partículas se depositariam no fundo), nem muito grande (as partículas seriam arrastadas), e o leito tem esse nome exatamente por ter comportamento semelhante ao de fluidos. A agitação intensa que caracteriza os leitos fluidizados torna-os ideais para a condução de reações químicas entre partículas sólidas e fluidos.

Para que esta agitação ocorra é necessário que a vazão de fluido tenha um valor mínimo que mantenha o sistema nesta condição, sendo este valor chamado de velocidade mínima de fluidização. Entretanto, quando a densidade das partículas do leito é muito próxima da densidade do fluido, a velocidade mínima de fluidização é muito baixa e o sistema tem que operar em baixa vazão, o que é uma desvantagem, porque torna o processo muito demorado.

A invenção de Corrêa e Peçanha oferece um artifício para contornar o problema, através do confinamento das partículas em cápsulas permeáveis. Isto é conseguido pelo encapsulamento, utilizando tela metálica de aço inoxidável (material com densidade consideravelmente superior) com aberturas menores que o diâmetro das partículas a serem confinadas.
As cápsulas, de fato, podem ter qualquer forma geométrica, sendo ideal que toda a sua área seja permeável, e podem conter resinas de utilização industrial como carvão ativo granulado, resinas poliméricas e outras, que se apliquem aos processos de transferência de massa (nos quais os contaminantes do fluido são transferidos do líquido para a resina). A coleção de cápsulas pode ser preenchida com diferentes resinas em uma mesma operação.

 

8.Mamadeira

mamadeira-aplicacoes-em-acço-inox

Mamadeira em aço inox

A mamadeiras de aço inox estão ganhando cada vez mais espaço. Algumas das vantagens estão: não quebram, são mais higiênicas,pois o aço inox naturalmente retém menos bactérias. São 100% recicláveis, possuem tempo de vida útil prolongado em comparação com as de outros materiais como as de vidro ou plástico, podendo se transformar em copinhos muito resistentes. Além disso, como o aço inox mantém de forma mais efetiva a temperatura.

 

9. Puff

aplicações em aço inox puff decoração

Puff em aço inox Alezzia

Eles são charmosos e dão um toque especial ao ambiente. São confortáveis, extremamente úteis e se adequam bem a diversos ambientes: salas de espera e de estar, restaurantes, consultórios, hall de hotéis, closets, entre outros. Geralmente os puffs são fabricados por um material estofado revestidos de couro ou podem ter estrutura de madeira, mas o uso do aço inox neste objeto é realmente inovador. O aço inox aplicado como aparato de sustentação confere ao puff resistência, e extrema elegância. Quer saber mais como usar o puff na decoração? Veja aqui.

 

 

Gostou? Deixe seu comentário e leia mais sobre as 12 razões pelas quais arquitetos devem especificar móveis em aço inox.

 

Referências:

Inovação Tecnológica

Brasil Escola

Blog Pra Quem Pedala

Central do Implante

Mamadeira de aço inox

 

 

Cristiane Mesquita
[email protected]
No Comments

Enviar Comentário