AAlezzia perto da árvore e o porque não somos libertários

Porque não somos libertários e nem socialistas mas somos patriotas

Para saber porque não somos libertários e nem socialistas precisamos falar de uma frase de George Lucas (Guerra nas Estrelas): “O homem mais evoluído é aquele que consegue conectar o mundo espiritual com o mundo físico“.

Hoje no Brasil polarizado nós vemos duas correntes muito fortes.

A primeira corrente quer que o estado seja grande e que todo mundo seja funcionário público, os que estiverem fora do governo devem ficar anêmicos para sempre e se submeter a qualquer lei por mais idiota que seja. Esse grupo quando perguntado qual país serve de referência para o Brasil simplesmente responde que nenhum país serve de referência porque somos diferente de todos uma vez que há 500 anos atras, blá, blá, blá.

O segundo grupo mais notável se encontra no outro polo. São os libertários e simplesmente não querem governo nenhum. Não se incomodam se a indústria de ponta falir, pois, teremos serviços e galinhas para exportar e viveremos felizes trabalhando em shoppings, salões de beleza, restaurantes e por ai vai. Simplesmente querem liberdade total sem nenhum tipo de intervenção de cima por menor que seja. Esse grupo normalmente segue a escola Austríaca e possuem países como Hong Kong como referência. Bom… Se essa escola austríaca fosse tão boa assim a Áustria seria poderosa como era na época do Império Austro-Húngaro.

Nós vemos esse pensamento dos libertários de ser mais um no mundo pelo ângulo da mediocridade, mediocridade no sentido de estar na média, de ser mais um como outro qualquer. Nosso senso de excelência não nos permite isso. Se vamos fazer algo queremos ser o melhor naquilo e não mais um. Simplesmente porque se formos o melhor nossa vida será melhor e poderemos salvar muito mais vidas, afinal, a cada dois segundos uma criança morre de fome na África e uma outra se prostitui no Brasil. Isso precisa mudar.

No meio desses dois nós sinceramente não vemos nenhuma liderança marcante, talvez os liberais, mas, não escutamos tanto buzz como vemos com os outros dois. E igualmente aos anteriores, libertários e socialistas, não vemos comprometimento com o plano de Brasil PIB nº 1 do mundo.

O Brasil como PIB nº 1

Voltando ao George Lucas, temos que dizer que nós concordamos com ele. Acreditamos que a nossa missão enquanto humanidade é trazer as inovações para a terra, é bastante espiritual, mas, essa é a nossa crença. Além disso, como sempre aconteceu na história, as nações sobem e descem.

Para nós ficou claro que está chegando a hora de o Brasil ser o PIB nº 1 do mundo. Se nós não formos alguém subirá no nosso lugar, então que seja o Brasil. Tal lugar está bem a mão, pois, chegamos a ser a 6ª economia com tudo errado e o governo atrapalhando demais. Imagina se o governo passar a colaborar… Onde não iremos?

Os chineses chamam isso de mandato do céu. O mandato do céu para um país ter a liderança global. Para esse mandato do céu acontecer uma coisa é imprescindível: desenvolver a indústria. A riqueza de uma nação é a consequência da sua capacidade de levar bem estar aos habitantes da terra. Bem estar precisa de inovação e inovação precisa de indústria. Ninguém vai achar a cura do câncer  em escritórios de contabilidade.

Desde o antigo Egito todas as nações que dominaram a terra fizeram por ter uma indústria melhor, por inovarem mais, e como efeito eram mais ricas e por conseguinte tinham os melhores exércitos e por ai vai.

 

A riqueza de uma nação é a consequência da sua capacidade de levar bem estar aos habitantes da terra.

 

A importância da indústria

Sabe outro fator imporante para desenvolver a indústria? Simples! É porque você vai ficar mais rico se isso acontecer. Veja o gráfico da renda média na Córeia do Sul, que investiu massivamente na indústria durante décadas depois do pós guerra, comparada a nossa renda que não investimos em nada além de petróleo.


Enquanto a Coreia do Sul exporta um produto que custa mais ou menos U$3.500.000 a tonelada, o Galaxy S8, o Brasil exporta um produto que custa – se dermos sorte – U$80 a tonelada (minério de ferro).

A Coréia do Sul fez macumba para isso acontecer? Eles são mais bonitos? Eles são mais inteligentes? O mundo adora coreanos e detesta brasileiros? A resposta é não para todas as perguntas.

O que o pessoal do olho puxado fez foi simplesmente tirar todo o “custo Coréia” da jogada e o governo central direcionou o dinheiro do país para a indústria. Eles não gastaram com bolhas imobiliárias, funcionalismo público exagerado, corrupção, desperdícios, etc. O dinheiro cumpria o papel que George Lucas disse lá acima, ele trazia inovações para a terra.

Como recompensa pela disciplina o país exporta horrores de bens manufaturados o que faz com que entre muita moeda forte no país e com isso todos ficam mais ricos.

 Homens com rosto com pintura tipica da korea dançando

E porque no Brasil não da certo?

É por isso que precisamos de algum estado para direcionar investimentos de ponta com tempo de maturação prolongado. A sociedade deve pagar um pequeno imposto para isso, pois, haverá muito retorno no longo prazo. Foi assim nas grandes navegações, foi assim com o a Hyundai.

A grande questão é que no Brasil os investimentos são feitos para proteger a ineficiência causada pelo Estado. Nossos governantes comunistas que só ligam para sugar a população, se reeleger e deixar as empresas sempre coagidas sob uma tonelada de leis escritas para serem impossíveis de serem seguidas a risca. Isso causa dois reflexos:

O primeiro é que o setor privado financia as campanhas e morre de medo de entrar em atrito com o dono da caneta, afinal, aquela tonelada de leis existe para destruir a empresa na hora que o governo quiser. No Brasil é impossível para qualquer um estar 100% dentro da legalidade e o governo gosta assim.

O segundo grande reflexo é que produzir aqui é caríssimo, afinal o tempo e dinheiro jogado fora para se fazer um prego é absurdo. E a única forma de manter a produção ativa é isolando com pesadas tarifas de importação a eficiência de outras parte do mundo da nossa ineficiência.

Ou seja, o governo comunista propositalmente mantém a ineficiência para todos os mortais comuns comerem na mão deles. Como a iniciativa privada é muito pouco produtiva devido a parasitagem estatal os salários aqui são baixos. Isso empurra boa parte das pessoas para o concurso público, o que significa mais gente na conta dos políticos. O que sobra disso vai para o bolsa família que também é voto garantido.

Sem toda essa máquina de coação nós teríamos indústrias competitivas produzindo carros de 20 mil reais como em qualquer outro país normal.

É por isso que falam que estado é uma gangue, entendeu?

Nosso plano é acabar com isso reduzindo o drasticamente o tamanho do Estado a começar pela fim da CLT.

 

Alezzia
[email protected]

Indústria de móveis de aço inox com sede no Rio de Janeiro

2 Comentários
  • JOSÉ GERALDO
    Postado em 08:45h, 24 julho

    A PRIMEIRA ATITUDE DA COREIA, NÃO FOI INVESTIR EM INDUSTRIA, ISSO FOI CONSEQUÊNCIA DO INVESTIMENTO EM EDUCAÇÃO. ENQUANTO O BRASIL CONTINUAR PROTEGENDO ALUNOS DE ESCOLAS PARTICULARES COM A INEFICIÊNCIA DO ENSINO BÁSICO DO ESTADO, O PAÍS NÃO SAI DO BURACO. E TÁ PIORANDO…..

  • Palmetal
    Postado em 13:33h, 24 julho

    Nós concordamos com a segunda parte, mas, a primeira está equivocada.
    A primeira atitude da Coreia foi investir em indústria, com o aumento da demanda por mão de obra qualificada e a geração de recursos veio o investimento pesado em educação.

    Educação sem industria era a Alemanha Oriental

Enviar Comentário