Derramento de óleo no golfo e o pré-sal. Vale o risco?

Na boa pessoal, por mais cético e ateu que um sujeito seja, não há como negar que certas coisas parecem um aviso muito claro. O badaladíssimo acidente no Golfo do México que derrama oléo no nosso lindo Oceâno Atlântico é um desses avisos.

De forma alguma queremos tocar as trombetas do apocalipse, mas, ano passado publicamos um texto sobre as desvantagens do pre-sal onde colocamos de forma detalhada os custos envolvidos na empreitada e alternativas para um uso melhor dessa quantidade colossal de dinheiro.

Com o acidente que ocorreu com a British Petroleum e poderia ocorrer com a nossa Petrobras, porque não? Devemos repensar mais uma vez a questão desse modelo energético do milênio passado.

Olhemos os fatos:

 PETROBRASBP
Fundação19531909
FaturamentoU$105bilhõesU$246bilhões
Lucro LíquidoU$17bilhõesU$17bilhões
Empregados74.24092.000
SedeRio de Janeiro, BrasilLondres, Inglaterra

Podemos ver pela tabela acima que a BP é uma empresa bem mais antiga (teoricamente com mais conhecimento), que fatura mais que o dobro da Petrobras (teoricamente com mais recursos) e que possui sua sede em um país teoricamente muito ecológico, a Inglaterra  do Príncipe Charles, que é um dos maiores ativistas ambientais do mundo. Presume-se com isso que a BP tenha um cuidado com a ecologia tão grande ou maior que o da nossa estatal.

E mesmo com todos esses fatores e mil recursos tecnológicos, estão tentando entupir o poço com “tiras de borras e bolas de gole” como pode-se ver no artigo da Reuters. Se a catástrofe não fosse tão séria, isso seria uma piada muito engraçada. Quem sabe Tiger Woods não queira ajudar nessa questão doando algumas bolas de golf.

Vamos fazer clarear nossa mente com mais uns dados

Evento:Exxon ValdezBP - Golfo do México
exxon valdezBP Golfo do mexico
Local:Alaska - USAGolfo do México - USA
Volume:250.000 barris100.000 barris por dia
Custo de limpeza:U$3bilhões (valor nominal não atualizado)U$1bilhão (aproximadamente até 30 de maio de 2010)
Área envolvida:28.1000Km224.000Km2
Tempo estimado de limpeza30 anos???
Morte de aves marinhas:entre 100.000 e 250.00034.000 até o momento
Mapa Google:Mapa para o Exxon ValdezMapa para o Golfo do México

Os impactos de um desastre como esse são muito fortes. No caso do Exxon Valdez bilhões de ovos de salmão e outros peixes foram destruidos, causando um impacto devastador no ecossistema e na indústria de pesca.

Na última reunião sobre o clima em Copenhague, a COP-15, nós brasileiros e o resto do mundo criticou  bastante a China e  o USA, pela falta de compromisso com o clima. A questão é que dar pedrada nos outros é muito fácil, mas, nenhum de nós habitantes da Tupinicópolis está disposto a abrir mão do dinheiro fácil do óleo sujo em favor de um mundo mais habitável. Afinal, ainda não vi nenhuma ONG grande ou político proeminente se posicionar contra a nossa exploração do pré-sal, pelo contrário, estão todos esfregando as mãos.

Vale o risco?

Com certeza não vale o risco. Basta pensar um pouco a longo prazo. Imagina se um acidente como esse acontece, e nós arrasamos cidades maravilhosas como Rio de Janeiro, Buzios, Arraial do Cabo. Isso tem um valor incalculável. Temos muitas alternativas a extrair esse petróleo do fundo do mar.

A Petrobrás mesmo poderia ser a líder mundial em energia alternativa. Basta um pouco de coragem e pioneirismo para conseguir isso. Características que faltam em uma empresa que diz que: “O desafio é a nossa energia”. Temos um desafio imenso com as novas fontes de eletricidade e uma tremenda falta de energia por parte da nossa estatal número 1.

Lista de referências:

Desastre do Golfo e dados das tabelas:

  • http://en.wikipedia.org/wiki/BP_Gulf_of_Mexico_oil_spill
  • http://en.wikipedia.org/wiki/Exxon_Valdez_oil_spill
  • http://en.wikipedia.org/wiki/BP
  • http://pt.wikipedia.org/wiki/Petrobras

Visite nosso Patrocinador:

cadeiras e moveis para areas externas - com tela

Alexandre do Nascimento
[email protected]

Palmetal é a empresa fabricante dos móveis em aço inoxidável Alezzia. A empresa foi fundada em 1990 e é a primeira a vender esse tipo de produto diretamente ao consumidor.

1Comment
  • Mari
    Postado em 20:24h, 23 setembro

    Concordo plenamente com voce. Tambem estou muito triste com o ocorrido, e espero do fundo do coraçao que o mesmo nao ocorra na costa brasileira com a tao almejada extração do pré-sal. Adoro seus textos. esta de parabens

Enviar Comentário