27 dicas para sua fábrica

O mundo hoje está todo voltado para a internet, redes sociais ou grandes fábricas asiáticas que produzem milhões de produtos com trabalhadores robóticos ou robos de última geração. Com o momento que desindustrialização que o ocidente atravessa, o Brasil principalmente, parece quase piada que pequenas indústrias teimosamente insistam em existir, e por mais absurdo que possa parecer, cresça nesse ambiente anticompetitivo.

Os livros em geral falam sempre de uma fábrica muito teórica que está absurdamente distante da realidade, por isso quem le geralmente fica pouco animado por não ouvir a própria linguagem do dia a dia. Com isso, vamos passar algumas dicas para você que como nós, administra uma pequena fábrica sem milhões de dólares em robótica e sistemas de RFid.

1 – Tenha metas semanais:

Outras empresas dizem que trabalham com metas anuais, outras semestrais, outras mensais; algumas ainda quem sabe quinzenais. Nós usamos as metas semanais na produção. A realidade é que diferentemente de paises europeus ou asiáticos que possuem uma visão de longo prazo, o brasileiro tem memória de peixe de aquário que dura apenas uma semana para trás ou para a frente. Além disso temos uma altissima taxa de rotatividade que segundo a Secretaria de Assustos Estratégicos da Presidência está em 41% ao ano. Ou seja, de cada 100 pessoas que começam o ano em um emprego, ao final dele apenas 59 continuarão na mesma empresa. Com esses dados, as metas anuais se tornam muito complicadas de se aplicar, com isso precisamos de algo que de resultado rápido.

Outra questão é como estabelecer a meta. Que número definir? Isso é uma questão muito individual, mas, vamos dizer qual foi a nossa resposta: a meta semanal é 2x o ponto de equilíbrio.

 

2 – Ofereça boas recompensas:

OK! Você tem uma meta semanal. Excelente! E se a meta for batida o que o funcionário ganha? Realmente isso é complicado de estabelecer. Nossa solução foi muito simples. Meta batida e cada  um recebe 5% sobre o salário. Como temos 4 semanas no mês o aumento pode subir até 20% no mês. Para nós o resultado é bom. Já vimos gente ficando depois da hora ou indo na rua buscar um parafuso para que a meta fosse batida. Ainda sim isso não é uma panacéia, de tempos em tempos alguém diz que não tá nem ai para a meta. Coisas da flutuabilidade do humor brasileiro.

 

3 – Faça reuniões períodicas:

Maravilha! Você tem a meta, tem a recompensa e ai é só sentar que tudo vai melhorar da noite para o dia? Seria bom se fosse só isso, mas, é preciso mais coisas. Lembra da memória de peixe de aquário? Pois é, precisamos constantemente reforçar a importância de alcançar os objetivos. Na Alezzia | Palmetal o que falamos é o seguinte: “Nossos clientes não compram trabalho, nossos clientes compram produtos! Então queremos muita produtividade e não muito trabalho. Nossa missão da semana é cumprida quando batemos a meta e não quando trabalhamos 44 horas na semana”. Jack Welch o executivo do século disse em um dos seus livros que sua principal função como CEO era estabelecer metas e empolgar as pessoas. No filme ALEXANDRE, Ptolomeu (Antony Hopkins), disse: “Na presença de Alexandre nós eramos capazes de fazer coisas que não podiamos sem ele”. Lembre-se disso!

Nessas reuniões aproveitamos para falar da estratégia geral da empresa e divulgar a atuação de outros setores como o marketing ou a TI. Pelo menos aparentemente as pessoas gostam de estar informadas do que se passa.

Outra coisa interessante! Apesar de termos metas, muitas pessoas na fábrica ficavam alienadas sobre o andamento da produtividade. A solução foi simples, como tudo que fazemos, penduramos o cartaz abaixo na parede. O cartaz é atualizado diariamente. Se você tiver um daqueles placares eletrônicos integrados ao seu sistema de ERP, melhor ainda! Caso não tenha, a velha e boa plaquinha resolve. O mais impotante nesse caso é a informação.

 

4 – Seja transparente:

Nossa meta é medida em dinheiro. É algo que vai contra a cultura nacional de esconder valores, mas, não achamos uma outra forma melhor de medir nosso resultado sem ser por valores. Se fossemos uma indústria de um único produto tipo leite em pó, poderiamos mensurar nosso resultado por número de latinhas, mas, nossa linha é ampla e variada, logo, é inviável medir o resultado por itens, peso, horas, etc. Nosso velocímetro universal é o dinheiro.

Fazemos questão de explicar o que é o ponto de equilíbrio e que a empresa tem gastos. Por mais espantoso que seja, alguns trabalhadores brasileiros acreditam que tudo o que sai da empresa vira, em um passe de mágica, números na conta bancária do patrão. Pergunte você aos seus funcionários, a resposta é surpreendente. No nosso caso a conta é simples: De cada R$100 que vendemos R$15 é imposto, R$35 é matéria prima e o restante nós temos que pagar os salários, luz, telefone, aluguel, marketing, etc.

 

5 – Incentive o treinamento:

Sejamos realista, no curto prazo o treinamento não da retorno. No longo prazo dá e muito! Invista em educação que mesmo que os funcionários saiam o nome da sua empresa vai ser elevado. Todos querem trabalhar em uma empresa que fornece treinamento. E os que ficam se sentem mais valorizados. Agora, nem todos querem treinar. Muitos estacionam em um patamar e lá ficam. Saiba usar esses também.

 

6 – Peça sugestões:

Essa dica é velha e felizmente está sendo cada vez mais usada. De qualquer forma, vai o reforço. Peça dicas e sugestões a qualquer um da sua empresa. Incentive todos a falarem algo, até os mais calados. É melhor que as pessoas falem 100 babagens do que ficarem mudas. Vai que dentre as 100 bobagens existe a idéia que vai mudar a sua vida.

7 – Arrume a fábrica:

Sejamos realista de novo. O brasileiro é um ser avacalhado com quase nenhuma consciência de organização. Basta ver a quantidade de gente jogando lixo pelas janelas de ônibus e carros. Um japonês, via de regra, vai primeiro arrumar seu ambiente de trabalho para depois produzir. Ele sabe que ambientes desorganizados fazem a produtividade cair. O brasileiro padrão vai começar a trabalhar na bagunça que for e ao final do dia vai deixar uma bagunça maior ainda e vai para casa achando que isso é perfeitamente normal. Para que perder tempo arrumando as coisas?

 

8 – De esporros:

Os líderes esquecem do poder de cura do bom e velho esporro. Se Deus descansou no 7o dia é provavel que no 8o ele já tenha dado um esporro em alguém pela bagunça. Muitas coisas complicadas acontecem porque os líderes não querem se indispor. Na vida profissional é absolutamente necessário fazer isso de tempos em tempos. Cuidado com a dose, esse remédio é para ser usado raramente sob pena de perder o efeito. E não pode ser usado sem antes haver uma ou duas tentativas de orientação pacífica. Na nossa empresa já tivemos resultados excelentes com esse método.

 

9 – Mantenha o conforto ambiental:

Compre ventiladores, certifique-se de que a água esteja gelada e os banheiros limpos. A fábrica pode até ficar meio bagunçada, mas, o banheiro tem que estar impecável. Dá um nervoso danado saber que se você tiver que ir ao banheiro ele vai estar infecto.

 

10 – Atenção ao almoço:

O almoço tem que ser gostoso. Ponto final! Um almoço gostoso é tão ou mais importante do que um aumento salarial sob a luz da produtividade. Nosso operador nacional gosta de comer bem e muito.

 

11 – Dormir depois do almoço:

Incentive o cochilo depois do almoço. Sua equipe vai render muito mais. Não é preciso muita coisa. Nosso pessoal estica um papelão na fábrica e dorme pesado.

 

12 – Festinhas, diversões e surpresas:

Para quebrar a rotina de tempos em tempos compramos uma pizza do Habib’s, ou algo parecido. Também costumamos sortear presentes simples como um azeite importado e um bacalhau. São coisas simples que dificilmente um trabalhador vai comprar para a casa. Nesse caso você ganha pontos com o funcionário e com a família dele. Pense nas crianças recebendo aquele vidrão de azeite de 500mL com nome italiano. É algo muito diferente. Meu pai trabalhava em uma empresa japonesa e quando eu era criança ele as vezes trazia para casa algo diferente tipo um krill. Com os meus 10 anos de idade eu me sentia muito importante e orgulhoso por meu pai trazer o tal do krill lá do trabalho dele. Pense no bem que você pode fazer aos filhos dos seus funcionários com um gesto insignificante desses.

 

13 – Programa de compra de seus produtos:

Se você tem algum produto que os funcionários podem desejar, como é o nosso caso, faça um programa para que eles tenham os seus produtos em casa. Isso certamente aumenta o moral da tropa. De tempos em tempos reunimos algumas peças que deram errado e doamos para a equipe. É uma felicidade e tanto.

 

14 – Faça favores:

Nosso time muitas vezes que fazer uma pequena solda, ou um pequeno corte ou coisa parecida. Dentro de uma normalidade libere esses favores. Cultive a fama de mão aberta e com isso evite atritos e possibilidades de roubo.

 

15 – Banco de horas:

Usamos um banco de horas de forma que se o funcionário sair mais cedo para resolver algum assunto pessoal essas horas ficam guardadas para que ele compense em algum outro momento oportuno.

 

16 – Aceite erros:

Errar faz parte do aprendizado. Aceite eles, são não aceitem que os mesmos erros sejam cometidos. Se isso acontecer é preciso atacar a raiz da questão rapidamente.

 

17 – Demita os faltosos e criadores de caso:

Também é aquele velho ditado, uma maçã podre contamina todo o cesto. Então se você detectou a maçã podre, faça o favor de demiti-lá rápido. Não fique achando que a maçã vai melhorar porque são raras as vezes que isso acontece. A não ser que a tal da maçã tenha um  histórico de serviços muito bons e valha a pena o sacrifício de tentar contornar o momento. Funcionários com menos de um ano não tem direito a criar casos ou ficarem faltando seja lá por qual motivo que for.

 

18 – Invista em equipamentos:

Pequenas ferramentas podem fazer uma falta enorme e derrubar drasticamente a sua produtividade. É o tipo de coisa que com elas você ganha pouco, mas, sem elas você perde muito. É duro mas é assim que é a vida.

 

19 – Mantenha os uniformes em bom estado:

Isso é algo muito psicológico, mas, dizem que a roupa faz o homem. Então se o seu uniforme está em um bom estado, novo e limpo, as pessoas se sentem mais importantes e mais talentosas por estarem com  uma aparência bastante profissional. Todos já viram aquelas fotos de pessoas com roupa laranja trabalhando em plataformas de petróleo. Elas se sentem muito importantes com aquela roupa, mesmo, sabendo que estão em uma atividade altamente poluente, insustentável, perigosa, atrasada e prejudicial a natureza. Acho que esse lance da política de uniformes deve ser algo friamente pensado pelas petrolíferas.

20 – EPI da melhor qualidade:

Compre bons EPIs é exija o uso deles. Use o método do esporro se for necessário. Um acidente de  trabalho mínimo é capaz de arrasar sua produtividade.

 

21 – Use a teoria das restrições:

A Teoria das Restrições, principalmente o livro Bussola Financeira de Thomas Corbett, fez milagres na nossa produção. Tentamos de tudo: MRP, metódo Toyta e outros bichos. A única coisa simples e realmente funcional para nós e a revolucionária TOC. Leia o nosso texto sobre o assunto.

 

22 – Delegue poder de decisão para os melhores:

As pessoas querem reconhecimento e se sentir importantes. Não todos, claro, mas, muitos sim. A esses de poder de decisão e enfatize como a sua atividade é importante para o resultado da companhia.

 

23 – Invista em pesquisas e testes:

Pare um pouco sua produção para fazer experiências e testes. Sê você consome todo o tempo fazendo a produção do dia a dia, como você vai estar mais forte amanha? Regularmente tentamos mudar nosso processo produtivo, as vezes funciona, as vezes não, e assim vamos tocando a vida.

 

24 – Não se mate atrás da perfeição:

Sua fábrica não precisa ser perfeita. Aquela imagem de plantas imaginárias fazendo produtos miraculosos é mais propaganda do que realidade. Basta ver a quantidade de recalls que temos. Ou seja, você não precisa ser perfeito para ser uma estrela, basta ser melhor que a concorrência. E acredite, se você tem dificuldades, a concorrência também tem.

 

25 – Funcionários são tão importantes quanto clientes:

Na época do desemprego altíssimo e nos anos de recessão o poder estava totalmente ao lado dos poucos empreendedores que tinham uma empresa lucrativa. Com o desemprego em queda, 6% no Brasil – 22% na Espanha (dados de 2011), a balança de forças se equilibrou e ter bons funcionários está tão importante como ter bons clientes. Com a economia muito aquecida, se você tem bons funcionários você consegue bons clientes.

 

26 – Remunere bem as estrelas do time:

Bill Gates disse que sem os 20 melhores funcionários a Microsoft (uma empresa de 20.000 funcionários) não seria nada – Vi isso no ManagmentTV. É impossível que você tenha um time formado 100% por super-estrelas. Até porque para alguem brilhar no palco, e preciso que um outro alguém segure o holofote. Esses são fatores cruciais do sucesso e precisam ser bem remunerados, as outras peças em maior ou menor grau podem ser substituidas.

 

27 – Fale dos clientes:

Como seus funcionários estão lacrados em uma caixa chamada linha de produção, muitas vezes eles esquecem que ao final de tudo, existem alguem esperando para receber aquela encomenda. Lembre a todos que quem paga o salário são os clientes e que a única forma de a empresa prosperar é através dos clientes satisfeitos.

 

Finalizando

Gerenciar uma empresa, principalmente uma fábrica, está longe de ser uma ciência exata. Fábricas praticamente iguais como Phillips e LG, que produzem as mesmas coisas, sob certos aspectos são completamente diferentes. Fazer um ambiente instável proporcionar resultados consistentes é algo que tem mais a ver com a figura de um maestro-psicólogo do que com um cientista ou ditador.

O mercado onde você recruta sua mão de obra é o mesmo do seu concorrente, então se você tem dificuldades com o material humano fique tranquilo, pois, isso não é privilégio da sua firma. E o que os grandes líderes conseguem e tirar resultados extra-ordinários a partir de um monte de pessoas ordinárias. Se outros fizeram você também pode fazer.

Alexandre do Nascimento
[email protected]

Palmetal é a empresa fabricante dos móveis em aço inoxidável Alezzia. A empresa foi fundada em 1990 e é a primeira a vender esse tipo de produto diretamente ao consumidor.

2 Comentários
  • Jaqueline Wolff de mello
    Postado em 16:35h, 04 maio

    OLHA
    SEMPRE TIVE ADMIRAÇÃO PELA PALMETAL ,HOJE TRABALHO COM LICITAÇÕES AQUI EM SC ,MAS UM DIA AINDA VOU ENTREGAR O MEU CURRÍCULO NESTE EMPRESA ,QUE PRA MIM PARECE BEIRAR A PERFEIÇÃO ,QUERO FAZER PARTE DESTE SUCESSO TAMBÉM .PARABÉNS PELAS SÁBIAS 27 DICAS DA EMPRESA.
    DESEJO SUCESSO …….
    AT
    JAQUELINE

  • Priscila
    Postado em 09:20h, 07 maio

    Olá Jaqueline,
    Ficamos felizes em receber seu comentário e esperamos sua visita em breve.
    Confira sempre nossas novidades!

    Facebook:http://www.facebook.com/pages/Alezzia/225545557508552
    Twitter: http://twitter.com/alezziamoveis
    YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=7xkmQG5KKNw

    Atenciosamente,
    Priscila Miguelete

Enviar Comentário